sábado, 24 de março de 2012

ES é o primeiro Estado a integrar-se à Plataforma de Gestão Agropecuária do Ministério da Agricultura

Publicado por Fabiano Fiuza em 24 março 2012

Com o cumprimento dos 28 pré-requisitos previstos pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Espírito Santo, por meio do Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf), é o primeiro Estado a integrar-se totalmente à Plataforma de Gestão Agropecuária (PGA), criada pelo Mapa em parceria com a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). A unificação das informações dará mais transparência e eficiência aos sistemas agropecuários e permitirá a harmonização das regras brasileiras com as especificações internacionais no mercado agropecuário.

De acordo com o médico veterinário Fabiano Fiuza Rangel, chefe do Departamento de Defesa Sanitária e Inspeção Animal do Idaf, com a consolidação do Sistema de Integração Agropecuária Online (Siapec) no Instituto foi possível atender a todas as exigências previstas pelo Ministério. O Siapec é o software utilizado pelo Idaf para controlar os registros de trânsito animal, gerenciar o quantitativo e a movimentação de todo o rebanho capixaba e controlar os estoques de vacinas. O Sistema permite também a efetivação de cadastro dos produtores e das propriedades rurais do Espírito Santo.

Para Fabiano Fiuza a grande vantagem da integração é a possibilidade de rastreamento do trânsito de animais em todo o País. “A PGA permitirá uma melhor gestão dos aspectos sanitários, já que não estaremos limitados apenas ao Espírito Santo, mas teremos o controle da movimentação do rebanho em todo o território nacional. Assim, em caso de eventuais surtos de doenças, o Estado consegue atuar com mais agilidade para sanar a ocorrência, evitando maiores prejuízos.”

PGA - A PGA é uma base de dados única sobre a criação, o transporte e o abate de bovinos para exportação de carne, que integrará informações do Sistema de Identificação e Certificação de Bovinos e Bubalinos (Sisbov) - que garante a rastreabilidade dos animais -, da Guia de Trânsito Animal Eletrônica (e-GTA) e do Sistema de Informações Gerenciais do Serviço de Inspeção Federal (Sigsif).

Em 2008, quando a União Europeia interrompeu temporariamente as compras de carne brasileira, o Ministério da Agricultura admitiu erros na certificação e comprometeu-se a adotar um sistema de rastreamento equivalente ao europeu, com controle individual dos animais. O rastreamento completo do rebanho pode ser decisivo para o Brasil consolidar-se como maior exportador mundial de carne bovina.

Fonte: INOVADEFESA

Um comentário: