terça-feira, 6 de julho de 2010

Caroço na vacinação contra Febre Aftosa

Para melhor vacinação

21/05/2010 - 16:10 
Por Daniel Pessoa Gomes da Silva*

O criador Edmilson Palácio, da Fazenda Jurema, em Jucás, quer saber como evitar ou tratar do caroço (abscesso) que se forma após a vacinação contra febre aftosa nos bovinos.

A eficácia e sucesso de toda vacinação depende da qualidade das vacinas como também da utilização de cuidados básicos em sua aplicação. Esse processo deve garantir a ausência de sequelas nos animais. Os abscessos após aplicações de vacinas são muito observados nos animais domésticos, sobretudo nos bovinos e podem representar causa significativa de perdas econômicas à cadeia de produção de carne.

Os abscessos são acúmulo de pus em diferentes tecidos, envolto em uma cápsula de fibrose e ocorrem como resposta ao desenvolvimento de bactérias piogênicas que ganham acesso ao organismo animal por uma ferida na pele e por meio de agulhas ou instrumentos contaminados. Causam aumento de volume e temperatura local, além de dor. No caso da vacina contra febre aftosa pode ocorrer um "caroço" no local da aplicação em virtude da consistência oleosa da vacina e de absorção lenta. O que na maioria dos casos ocorre é a contaminação, provocando os abscessos.

É fator de risco: o uso de seringas e agulhas contaminadas, falta de higiene no local de aplicação da vacina e uso de vacinas ou medicamentos cujos veículos são oleosos.

Para o tratamento dos abscessos podem ser utilizados antibióticos de amplo espectro no início do quadro clínico. Uma vez instalada a lesão deve ser feita drenagem cirúrgica do abscesso. Para isso deve-se higienizar o local da lesão e realizar incisão ampla do abscesso para impedir a retenção do pus e nova formação do caroço; retirar as secreções e aplicar soluções antissépticas à base de iodo ou hipoclorito de sódio; proteger a incisão com repelentes para evitar a postura de ovos e desenvolvimento de larvas de moscas. No caso da drenagem cirúrgica também é recomendada aplicação de antibióticos.

Para prevenção, as vacinas devem ser conservadas em isopor com gelo antes e durante sua aplicação, por meio de seringas e agulhas descartáveis ou por pistolas, tubos e agulhas desinfetados em água fervente por pelo menos 15 minutos. Na aplicação deve-se puxar o couro da tábua do pescoço em posição paralela ao corpo do animal e realizar troca de agulhas e tubos a cada recarga da pistola ou até a cada 10 animais vacinados, mantendo os usados imersos em álcool iodado por 10 minutos, higienizar o local da aplicação da vacina e não guardar frascos de vacina eliminando as sobras também são medidas importantes. 
*Professor da Favet-Uece e mestre em Clínica de Grandes Animais.

Agrolink

3 comentários:

  1. o que fazer para nao deixar o caroço apos vacina de febre ftosa? e quai sao os cuidados apos a vacina

    ResponderExcluir
  2. A minha pergunta é a mesma anterior: Qual o tratamento dos caroços, o que fazer?

    ResponderExcluir
  3. Os caroços são resultado de uma reação inflamatória local frente ao contato com os constituintes da vacina. Alguns animais reagem mais intensamente que outros. Não há o que fazer. O importante é adotar medidas de higiene na vacinação para não haver contaminação das agulhas e a consequente formação de abcessos no local de aplicação.

    ResponderExcluir